sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

A Epifania de Nosso Senhor

Adoração dos Magos (c. 1622-1624.), de Abraham Bloemaert (1566-1651)

Tal como os Reis Magos, tão distantes da terra prometida do Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, nós também fomos chamados pelo Evangelho e, sem poder fazer nada,  nos prostramos e adoramos este Rei dos Judeus, que de modo assombrosamente maravilhoso foi formado no ventre de sua mãe e dotado de justiça do alto, que por sua inocente paixão e morte, através do real e verdadeiro corpo e sangue dado por você, derrotou todos os nossos mais terríveis inimigos.

O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre;
cetro de equidade é o cetro do teu reino.
Amas a justiça e odeias a iniquidade;
por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria,
como a nenhum dos teus companheiros.

Salmo 45.6-7

domingo, 1 de janeiro de 2017

1º de Janeiro: "Dia do Santo Nome do Senhor"

             


 Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo!

           O Nome do SENHOR, de acordo com o Salmo 8. 1 e 9, é “magnífico em toda a terra”; e através dele (e nele) é “vista a grandeza de nosso Deus”.
            Ora, quando somos batizados, conforme Gálatas 3. 27, somos cobertos por essa “grandeza”; afinal, somos “revestidos do SENHOR” e essa nova roupagem nos faz pertencer a ele (e se dele somos, dele recebemos o seu Nome). Por causa disso, Gálatas 3. 29 nos lembra que não mais estamos sujeitos à condenação da Lei; mas “fomos tornados herdeiros daquilo que o próprio Deus prometeu”.
            Este Nome, meus irmãos, que é magnífico, que revela a grandeza de Deus e nos reveste através do Santo Batismo, tornando-nos herdeiros da Promessa é JESUS!

            Mas, o que significa JESUS? Qual a importância do seu Nome?
            O santo anjo do SENHOR que anunciou o primeiro Natal nos concede a resposta de forma clara e direta: em São Mateus 1. 21 aprendemos que “JESUS é aquele que salvará o seu povo dos pecados deles”.
            O Nome de Jesus é SALVAÇÃO!

            Portanto...
            A grandeza de Deus revelada em seu Nome (Salmo 8. 1 e 9) é SALVAÇÃO! Quando somos batizados em Nome do SENHOR, somos vestidos (Gálatas 3. 27) de SALVAÇÃO! E por causa dessa nova roupagem, deste Nome que recebemos no Santo Batismo, passamos a ser herdeiros (Gálatas 3. 29) da promessa que este Nome cumpre: SALVAÇÃO!
            Assim expõe São Lucas, ao escrever Atos dos Apóstolos 4. 12: “E não há salvação em nenhum outro além de Jesus; porque debaixo do céu não existe nenhum outro Nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”.

            E agora, quando iniciamos mais um ano, fazemos isto na certeza de que esta SALVAÇÃO (este grandioso Nome que tem poder para salvar) nos acompanhará em todos os nossos passos. E nessa perspectiva desejamos “Feliz Ano Novo”. Sim! E mais, a melhor forma de desejar um “Feliz Ano Novo” em Nome de Jesus é justamente fazê-lo com o próprio Nome do SENHOR, conforme Números 6. 24-26: “O SENHOR te abençoará e te guardará; o SENHOR fará resplandecer o rosto sobre ti e terá misericórdia de ti; o SENHOR sobre ti levantará o rosto e te dará a Paz”.

            Por fim, neste 1º de Janeiro, o Dia do Nome de Jesus, a melhor forma de concluir uma mensagem é parafraseando o verso que segue, Números 6. 27: “assim diz o SENHOR: O meu Nome está sobre cada um de vocês, e eu os abençoarei”.

            Amém!


Rev. Helvécio José Batista Júnior
Ministro do SENHOR nas Igrejas “Bom Pastor” e “Cristo Rei” em Cariacica/ES

No Dia do Santo Nome de Jesus, 2016 AD

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Festa dos Santos Inocentes, Mártires



Cor litúrgica: Vermelha

Leituras bíblicas
† Salmo 54
† Jeremias 31.15-17
† Apocalipse 14.1-5
† S. Mateus 2.13-18

O Evangelho de Mateus fala do enredo cruel do rei Herodes contra o menino Jesus após ser “enganado” pelos Reis Magos. Se sentido ameaçado por um “recém-nascido Rei dos judeus” Herodes assassinou todas as crianças de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo (S. Mateus 2.16-18). Esses “inocentes”, festejados apenas três dias após a celebração do nascimento de Jesus, nos lembram não apenas da brutalidade terrível de que os seres humanos são capazes, mas de forma mais significativa, da perseguição que Jesus sofreu desde o início de sua vida terrena. Embora a vida de Jesus fora providencialmente poupada neste momento, muitos anos mais tarde, outro governante, Pôncio Pilatos, sentenciaria o inocente Jesus à morte. A origem desta festa na igreja Cristã é muito antiga. Aparece já no calendário cartaginês do século IV e por volta do ano 485 no Sacramentário Leonino em Roma.

Coleta
Todo-poderoso Deus, os mártires inocentes de Belém manifestaram publicamente teu louvor, não pelo falar, mas pelo morrer. Faz morrer em nós tudo que está em conflito com a tua vontade, para que nossas vidas possam dar testemunho da fé que professamos com os nossos lábios; através de Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém.


Fonte: Treasury of Daily Prayer (Concordia Publishing House).

São João, apóstolo e Evangelista



São João era filho de Zebedeu e irmão de Tiago, o Maior (cuja Festa é dia 25 de Julho). João estava entre os primeiros discípulos chamados por Jesus (Mt 4.18 -22) e ficou conhecido como “o discípulo a quem Jesus amava”, como ele se refere a si mesmo no Evangelho que leva seu nome (Jo 21.20). Dos Doze, somente João não abandonou Jesus na hora de seu sofrimento e morte. Juntamente com as mulheres fiéis, ele permaneceu aos pés da cruz, onde o Senhor o tornou guardião de sua mãe. Após o Pentecostes, João exerceu seu ministério em Jerusalém e em Éfeso, onde a tradição diz que ele foi bispo. Escreveu o quarto Evangelho, as três Epístolas que levam seu nome e o Livro do Apocalipse. Especialmente memorável em seu Evangelho são o registro do casamento em Caná (Jo 2.1-12), o “Evangelho em poucas palavras” (Jo 3.16), os ditos de Jesus sobre o Bom Pastor (Jo 10.11-16), a ressurreição de Lázaro (Jo 11) e o encontro de Jesus com Maria Madalena na manhã de Páscoa (Jo 20.11-18). De acordo com a tradição, João foi banido pelo imperador romano Domiciano para a ilha de Patmos (afastada da costa da Ásia Menor). João viveu até avançada idade, sobrevivendo a todos os apóstolos, e morreu em Éfeso por volta do ano 100 d. C.


Cor litúrgica: Vermelha


LEITURAS:
† Antigo Testamento: Apocalipse 1.1-6
† Salmo: Salmo 11 (antífona v. 4a)
† Epístola: 1 João 1.1 - 2.2
† Santo Evangelho: S. João 21.20-25


ORAÇÃO DO DIA:
Misericordioso Senhor, lança os raios brilhantes da tua luz sobre a tua Igreja, a fim de que nós, sendo instruídos na doutrina de teu bem-aventurado apóstolo e evangelista João, possamos chegar à luz da vida eterna; pois tu vives e reinas com o Pai e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém. 


FonteTreasury of Daily Prayer (St. Louis: Concordia Publishing House, 2008)






segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

26 de Dezembro: "Dia de Santo Estêvão, Mártir da Fé"

           



          A Palavra de Deus nos diz que após a Ascensão de Jesus Cristo e a descida do Espírito Santo no dia do Pentecostes, os seguidores do Senhor continuaram testemunhando a mensagem da Fé Cristã por todos os lugares e de diversas formas possíveis. Em outras palavras, os Atos do Senhor estavam sendo realizados agora através dos seus discípulos. Dentre estes, havia Estêvão, “um homem muito abençoado por Deus e cheio de poder” (Atos 6.8), que foi um dos “homens de confiança” (Atos 6. 3) escolhidos para auxiliarem o trabalho dos Apóstolos. Seu testemunho e fidelidade a Jesus Cristo eram tamanhos que provocaram uma reação violenta dos líderes religiosos da época, porém, estes “começaram a discutir com Estêvão. Mas o Espírito de Deus dava tanta sabedoria a Estêvão, que ele ganhava todas as discussões” (Atos 6. 9-10). Por causa disso, enfurecidos, o levaram para diante do Conselho e após ouvirem novamente seu “testemunho centrado em Cristo” (Atos 7) o arrastaram para “fora da cidade e o apedrejaram... Enquanto eles atiravam as pedras, Estêvão chamava Jesus, dizendo: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! Depois, ajoelhou-se e gritou com voz bem forte: Senhor, não condenes esta gente por causa deste pecado! E, depois que disse isso, ele morreu” (Atos 7. 58-60).
            É interessante perceber que mesmo em meio a este sofrimento horrível, Estêvão sabia que não importava o que seus inimigos fizessem a ele, pois Jesus já havia preparado um lugar para ele. E este lugar, onde tanto se firmou Santo Estêvão, foi manifestado a ele, ainda que de forma breve, em seus últimos momentos de vida na terra. Enfrentando uma morte sangrenta e dolorosa por apedrejamento, Santo Estêvão, “cheio do Espírito Santo, olhou firmemente para o céu e viu a glória de Deus. E viu também Jesus em pé, ao lado direito de Deus” (Atos 7. 55). Por causa dessa “gota do paraíso” (usando uma expressão de C. S. Lewis), Santo Estêvão pôde deixar mais um belo testemunho antes de fechar os seus olhos para este mundo e abri-los novamente junto ao Senhor, no Céu: “Eu estou vendo o céu aberto e o Filho do homem em pé, ao lado direito de Deus” (Atos 7. 56).
            Ainda hoje, podemos seguir o exemplo de Santo Estêvão, e mantermos os nossos olhos e nossa confiança fixos e firmados neste Céu que se abre para nós através de janelas graciosas: O Santo Batismo, a Palavra de Deus e a Ceia do Senhor – nestas “janelas dos céus” (meios da Graça de Deus), nós podemos ver a glória de Deus, e em Cristo sermos perdoados, consolados e fortalecidos da mesma forma que Santo Estêvão o foi, mesmo que estejamos passando pelos mais sangrentos e horríveis sofrimentos. Além disso, podemos continuar fazendo coro as suas palavras e ao seu testemunho, e quando chegar nossa hora derradeira, confessar como fez este Mártir da Fé Cristã: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito!


Rev. Helvécio José Batista Júnior
Ministro do SENHOR nas Igrejas “Bom Pastor” e “Cristo Rei”

Cariacica/ES

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Ó Rei das nações



Antífonas do Ó:

As Antífonas Maiores do Advento








22 de dezembro
Ó Rei das nações
e objeto de seus desejos, pedra angular
que reunis em vós judeus e gentios:
Vinde e salvai o homem que do limo formastes



Ó Rei das nações

Antífona + Magnificat










quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Próprios para o dia de São Tomé




Introito do dia de São Tomé: Antífona Salmo 31.14; Salmo 89.1,5, 15-16
Quanto a mim, confio em ti, SENHOR. Eu disse: tu és o meu Deus.
Cantarei para sempre as tuas misericórdias, ó SENHOR; os meus lábios proclamarão a todas as gerações a tua fidelidade.
Celebram os céus as tuas maravilhas, ó SENHOR, e, na assembléia dos santos, a tua fidelidade.
Bem-aventurado o povo que conhece os vivas de júbilo, que anda, ó SENHOR, na luz da tua presença.
Em teu nome, de contínuo se alegra e na tua justiça se exalta,
Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito, como era no princípio, agora é e por todo o sempre há de ser. Amém.
Quanto a mim, confio em ti, SENHOR. Eu disse: tu és o meu Deus.

Coleta do dia de São Tomé
Todo-Poderoso e eterno Deus, que fortaleceste ao teu apóstolo Tomé com fé firme e certa na ressurreição de Teu Filho, concede-nos tal fé em Jesus Cristo, nosso Senhor e nosso Deus, para que nunca sejamos achados em falta na tua presença; através de Jesus Cristo, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.




Leituras Bíblicas do Antigo Testamento/ Gradual/ Epístola/ Aleluia/ Verso do dia de São Tomé
Antigo Testamento: Juízes 6.36-40
36 Disse Gideão a Deus: Se hás de livrar a Israel por meu intermédio, como disseste, / 37 eis que eu porei uma
porção de lã na eira; se o orvalho estiver somente nela, e seca a terra ao redor, então, conhecerei que hás de livrar Israel por meu intermédio, como disseste. / 38 E assim sucedeu, porque, ao outro dia, se levantou de madrugada e, apertando a lã, do orvalho dela espremeu uma taça cheia de água. / 39 Disse mais Gideão: Não se acenda contra mim a tua ira, se ainda falar só esta vez; rogo-te que mais esta vez faça eu a prova com a lã; que só a lã esteja seca, e na terra ao redor haja orvalho. / 40 E Deus assim o fez naquela noite, pois só a lã estava seca, e sobre a terra ao redor havia orvalho.

Gradual (Romanos 10.15b, Isaías 52.7-b, Romanos 10.18b)
Como é bonito ver os mensageiros trazendo boas notícias!
Trazendo notícias de paz, boas notícias de salvação!
A voz deles se espalhou pelo mundo inteiro
As suas palavras alcançaram a terra toda.

Epístola: Efésios 4.7,11-16
 7 E a graça foi concedida a cada um de nós segundo a proporção do dom de Cristo. 11 E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, 12 com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, 13 até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, 14 para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. 15 Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, 16 de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.

Tríplice Aleluia e verso:
Aleluia, Aleluia, Aleluia.
Aleluia. Bem-aventurados os que não viram e creram. Aleluia.
Aleluia, Aleluia, Aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 20.24-29
Glórias a ti Senhor,
24 Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. / 25 Disseram-lhe,
então, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele respondeu: Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei. / 26 Passados oito dias, estavam outra vez ali reunidos os seus discípulos, e Tomé, com eles. Estando as portas trancadas, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco! / 27 E logo disse a Tomé: Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. / 28 Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! / 29 Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.

Glórias a Ti, ó Cristo