Tempo Quaresmal e os Catecismos de Lutero: OITAVO MANDAMENTO (8/40)

      23/02/2018: OITAVO MANDAMENTO
CATECISMO MENOR:

CATECISMO MAIOR:
Além do próprio corpo, esposo (a), bens materiais, existe outro tesouro que não se pode dispensar – honra e boa reputação. É muito difícil que alguém viva entre outras pessoas quando se está em pública desgraça e desprezado por todos. Por isso Deus não quer que a reputação e o bom nome sejam retirados ou diminuídos, assim como os bens do próximo não devem ser extorquidos. Deus deseja que a pessoa continue honrada diante do cônjuge, filhos, empregados e vizinhos.
Este mandamento proíbe todos os pecados da língua pela qual se pode causar dano ao próximo ou magoá-lo. Por que sustentar falso testemunho não é nada mais do que obra da língua. Deus proíbe tudo que se faz contra o próximo através do pecado da língua. Aqui se aplica também a falsos pregadores com suas doutrinas e blasfêmias; juízes e testemunhas falsas.

Aqui vem especialmente ao caso o vício detestável e vergonhoso de fazer má ausência ou caluniar, com que o diabo nos aperta. Muito se poderia dizer a esse respeito. Porque é praga danosa comum isso de casa qual gostar mais de ouvir falar mal do que bem do próximo (fofoca).

Tempo Quaresmal e os Catecismos de Lutero: SÉTIMO MANDAMENTO (7/40)

      21/02/2018: SÉTIMO MANDAMENTO

CATECISMO MENOR:
  

CATECISMO MAIOR:
Após o mandamento que trada da pessoa e do seu cônjuge, o próximo fala dos bens materiais. Deus também protege os bens que Ele concede. Ele ordena que ninguém furte qualquer coisa que seja do próximo. Brevemente, obter lucro, vantagem a partir do prejuízo do próximo. Roubar não é somente pegar o dinheiro do próximo, mas também se estende a todos os lugares que tem comércio, por exemplo, vender algo com o peso adulterado, lucro exagerado, etc. No trabalho, quando um empregado ou empregada é infiel com seus deveres e causa prejuízo ao seu patrão, ou poderia evitar, mas não o faz. Não fazer aquilo para que foi contratado também é furtar, pois se está recebendo para cumprir uma atividade.

Sob pena do desagrado de Deus, lhe corre o dever de não só nenhum dano fazer ao próximo, nem subtrair-lhe sua vantagem, nem a transações de compra e venda ou em outro negócio perpetrar contra ele qualquer perfídia ou dolo, mas ainda cumpre proteger fielmente os bens do próximo, causar e favorecer seu proveito, particularmente se para isso se recebe dinheiro e remuneração.

Tempo Quaresmal e os Catecismos de Lutero: SEXTO MANDAMENTO (6/40)

      21/02/2018: SEXTO MANDAMENTO
CATECISMO MENOR:

CATECISMO MAIOR:
Os mandamentos, quinto a oitavo, nos mostram que não podemos fazer nenhum tipo de mal ao nosso próximo. Estes mandamentos estão muito bem organizados. Em primeiro lugar, eles falam sobre danos ao nosso próximo. Em seguida, os mandamentos passam a falar sobre a pessoa mais próxima a ele, ou a posse mais próximo seguinte, após o seu corpo, ou seja, sua esposa. Ela é uma carne e sangue com ele, de modo que não pode infligir um dano maior sobre qualquer bem que é dele. Portanto, é claramente proibido trazer qualquer desgraça, vergonha com respeito a esposa do meu próximo.
Este mandamento é diretamente contra todos os tipos de pecados contra uma vida casta, seja que nome receba. Não somente a forma externa do adultério é proibido, mas todo tipo de causa, motivo e meios de adultério. O coração, os lábios e todo o corpo deve ser casto e puro e que não se de oportunidade a vida impura.

Deus tem o casamento em alta consideração. Por este mandamento, Ele o aprova e o guarda. Deus aprovou o casamento através do quarto mandamento o “honrar pai e mãe”. No sexto mandamento, Deus guarda e protege o casamento. Portanto, Ele também deseja que honremos, mantenhamos e vivamos neste santo e divino estado que é o casamento. Por que Deus tem o casamento em alta estima? Por que foi Deus que o instituiu antes de todas as coisas. Criou diversamente o homem e a mulher, como é evidente, não para uma vida impura e desregrada e sim para que permaneçam unidos, sejam fecundos, gerem filhos e os sustentem e eduquem para a honra de Deus. O casamento não deve ser desprezado, como faz o mundo cego, mas que se trate de avaliá-lo segundo a Palavra de Deus, que a tudo adorna e santifica.

Tempo Quaresmal e os Catecismos de Lutero: QUINTO MANDAMENTO (5/40)

      20/02/2018: QUINTO MANDAMENTO

CATECISMO MENOR:

CATECISMO MAIOR:
Neste mandamento saímos de nossa casa e vamos aos vizinhos, para aprender como devemos viver uns com os outros. Deus e o governo não estão incluídos neste mandamento, por que tanto Deus, como o governo tem o direito de punir os malfeitores.
Nós não deveríamos matar, nem com as mãos, coração, boca, gestos, ajudando ou aconselhando para o mal. Portanto, este mandamento proíbe a todos de ficar irado, exceto aqueles que estão na função de Deus, ou seja, pais e o governo.
O propósito deste mandamento é que ninguém faça mal ao próximo devido as suas ações más, mesmo considerando que ele mereça. Por que onde se proíbe matar, aí se proíbem todas as coisas que possam dar origem ao homicídio.

Segundo este mandamento, a pessoa não é somente culpada quando faz o mal para seu próximo, mas quando deixa de fazer o bem. Ou seja, isto também se aplica a qualquer pessoa que pode fazer o bem ao próximo, prevenir ou resistir ao mal ou ajuda-la e não o faz. Por exemplo, num dia muito frio, você vê uma pessoa com muito frio, sendo que você tem condições de ajudá-la dando lhe uma blusa, passe por ela e nada faz.

Tempo Quaresmal e os Catecismos de Lutero: QUARTO MANDAMENTO (4/40)

       19/02/2018: QUARTO MANDAMENTO

CATECISMO MENOR:


CATECISMO MAIOR:
Até aqui aprendemos os três mandamentos, que tratam da nossa relação com Deus. Primeiro, que de todo coração nele confiemos, temamos e amemos, em toda a nossa vida. Segundo, que não mal-usemos seu santo nome para apoiar mentiras ou qualquer outra coisa má, porém que façamos uso dele em louvor de Deus, bem como para o proveito e salvação do próximo e de nós mesmos. Terceiro, que em dia santo e de repouso diligentemente tratemos a palavra de Deus e com ela nos ocupemos, a fim de toda nossa ação e vida sejam orientadas pela Palavra de Deus. Agora vêm os outros sete, que se referem ao nosso próximo. O primeiro e maior desses é: Honrarás a teu pai e a tua mãe.


Deus distinguiu o estado paterno e materno de modo especial, acima de todos os estados que estão debaixo de Deus. Não ordena simplesmente que amemos os pais; manda honrá-los. Com respeito aos irmãos, irmãs e o próximo em geral, não ordena-se coisa mais elevada do que amá-los. Dessa maneira separa e distingue pai e mãe acima de todas as outras pessoas na terra e os põe ao lado dele. Pois honrar muito mais elevada coisa é que amar. Não abrange apenas o amor, senão modéstia, humildade e reverência como para uma majestade. E honrar não requer penas que nos dirijamos aos pais de forma amável e respeitosa, porém, acima de tudo de coração e corpo nos disponhamos de maneira tal, que os tenhamos em alta conta e os coloquemos no lugar mais elevado depois de Deus. Pois que para honrar alguém de coração é preciso que o tenhamos em alta estima e consideração. Cumpre, por isso, incutir aos jovens que vejam nos pais representantes de Deus.

Tempo Quaresmal e os Catecismos de Lutero: TERCEIRO MANDAMENTO (3/40)

      17/02/2018: TERCEIRO MANDAMENTO
CATECISMO MENOR:



CATECISMO MAIOR:
A Palavra de Deus é a relíquia das relíquias, a única, na verdade, que nós cristãos reconhecemos e temos. A Palavra de Deus é o tesouro que a tudo santifica.

Toda a hora em que se trata, prega, ouve, lê ou medita a Palavra de Deus, dá-se através disso a santificação da pessoa, do dia e da obra, não em virtude da ação externa, mas por causa da Palavra, que a todos nos torna em santos. Razão por que digo sempre que todo o nosso viver e agir, para chamar-se agradável a Deus, ou santo, deve nortear-se pela Palavra de Deus. Todo o viver e agir alienado da Palavra de Deus é insensato aos olhos de Deus.

Nota que a força e o poder desse mandamento não consiste no não fazer nada, mas sim no santificar. E o Santificar só ocorre através da Palavra de Deus. Pecam contra esse mandamento não apenas os que mal-usam o dia de descanso, como por exemplo, os que por razão de ganância ou leviandade descuidam de ouvir a Palavra de Deus ou vivem embriagados neste dia.


Quando se medita, ouve e trata a palavra seriamente, ela tem o poder de nunca ficar sem fruto. Sempre desperta novo entendimento, prazer e devoção, e cria coração e pensamentos puros. Pois a Palavra de Deus não são palavras inoperantes, senão eficazes e vivas.  

Tempo Quaresmal e os Catecismos de Lutero: SEGUNDO MANDAMENTO

      16/02/2018: SEGUNDO MANDAMENTO


CATECISMO MAIOR:
Assim como o primeiro mandamento instruiu o coração e ensinou a fé, assim este mandamento nos conduz para a fora e põe a boca e a língua na relação correta para com Deus. Por que a primeira coisa que brota do coração e se manifesta são as palavras. Como acima ensinei de que maneira se responde à pergunta sobre o que significa ter Deus, assim também te cumpre aprender a inteligir singelamente o sentido deste e dos demais mandamentos e aplica-los a ti.
Que significa tomar o nome de Deus em vão, ou mal-usá-lo? Abusar do nome de Deus que dizer pronunciar o nome do Senhor Deus, seja qual for a maneira, para fins de mentira ou vício de espécie. O que se ordena aqui, portanto, é não invocar o nome de Deus falsamente, ou proferi-lo em casos nos quais o coração bem sabe, ou deveria saber, que a verdade é outra, como sucede entre os que prestam juramento em juízo e uma parte em seguida mente contra a outra. Pois não existe abuso mais grave do nome de Deus que o de valer-se dele para mentir e ludibriar.
O maior de todos os abusos está em relação as coisas espirituais, que dizem respeito as consciências: quando se levantam falsos pregadores e falam mentiras e as passam por palavras de Deus.

É necessário que saibas como se faz uso acertado do nome de Deus. Ordena-se por outro lado usá-lo para a verdade e todo o bem. Assim, por exemplo, quando se jura acertadamente onde for preciso e exigido. Da mesma forma quando se ensina corretamente. Ainda, quando se invoca o nome em momentos difíceis e se lhe rende louvor e graças em tempos de fartura. Conforme expresso no Salmo 50: “Invoca-me no dia da angustia: Eu te livrarei e tu Me glorificarás.”