quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Festa de São Miguel e Todos os Anjos – 29 de setembro





 
"São Miguel e a queda dos anjos", pintura de Johann Georg Unruhe (1793) na Pfarrkirche St. Michael in Untergriesbach (Alemanha)

† Daniel 10.10-14; Daniel 12.1-3 
† Salmo 91 (antífona vers. 11 ) 
† Apocalipse 12.7-12 
† Mateus 18.1-11 ou Lucas 10.17-20

Cor litúrgica: Branca

O nome do arcanjo São Miguel significa “Quem é como Deus?” Miguel é mencionado no Livro de Daniel (12.1), bem como em Judas (v. 9) e Apocalipse (12.7). Daniel retrata Miguel como o angélico ajudador de Israel que lidera a batalha contra as forças do mal. Em Apocalipse, Miguel e seus anjos combatem e derrotam Satanás e os anjos maus, lançando-os do céu. Sua vitória é possível graças a vitória de Cristo sobre Satanás na sua morte e ressurreição, uma vitória anunciada pela voz no céu: “Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo” (Ap 12.10). Miguel é muitas vezes associado com Gabriel e Rafael, os outros anjos principais ou arcanjos que circundam o trono de Deus. A tradição designa Miguel como o patrono e protetor da Igreja, o Novo Israel de Deus, especialmente como o protetor dos cristãos na hora da morte.


ORAÇÃO DO DIA: 

Deus eterno, tu ordenaste e constituíste o serviço dos anjos e dos homens numa ordem maravilhosa. Concede misericordiosamente que, assim como teus santos anjos sempre servem e adoram a ti no céu, igualmente, por tua ordem eles também possam ajudar e nos defender aqui na terra; através de teu Filho, Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

Fonte: Treasury of Daily Prayer (St. Louis: Concordia Publishing House, 2008. p. 768)

São Miguel e todos os anjos/ 29 de setembro 2016



 Hoje, dia 29 de setembro, a igreja cristã celebra o dia de São Miguel e todos os anjos. Honremos a Deus pelos santos anjos, estudando os próprios deste dia. Além das leituras, também contemplaremos o introito, a oração do dia, o gradual e o verso.

Introito do dia é o Salmo 103.20-22 e a antífona é o Salmo 103.1.
Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome.

Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, valorosos em poder, que executais as suas ordens e lhe obedeceis à palavra.
Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que fazeis a sua vontade.
Bendizei ao SENHOR, vós, todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito, como era no princípio, agora é, e por toso sempre há de ser. Amém

Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome.

Coleta (oração) do dia
Deus eterno, que ordenaste e constituíste o serviço dos anjos e dos homens de modo maravilhoso, concede misericordiosamente que, assim como teus santos anjos sempre te servem e adoram nos céus, da mesma maneira eles possam nos ajudar e defender aqui na terra, de acordo com tua orientação; através de teu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e rena contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém.

Primeira leitura: Antigo Testamento: Daniel 10.10-14 e 12.1-3
Daniel 10.10-14: 10 Eis que certa mão me tocou, sacudiu-me e me pôs sobre os meus joelhos e as palmas das minhas mãos. / 11 Ele me disse: Daniel, homem muito amado, está atento às palavras que te vou dizer; levanta-te sobre os pés, porque eis que te sou enviado. Ao falar ele comigo esta palavra, eu me pus em pé, tremendo. / 12 Então, me disse: Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e, por causa das tuas palavras, é que eu vim. /13 Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia. / 14 Agora, vim para fazer-te entender o que há de suceder ao teu povo nos últimos dias; porque a visão se refere a dias ainda distantes.
Daniel 12.1-3: 1 Nesse tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, o defensor dos filhos do teu povo, e haverá tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele tempo, será salvo o teu povo, todo aquele que for achado inscrito no livro. / 2 Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno. / 3 Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos conduzirem à justiça, como as estrelas, sempre e eternamente.

Gradual com base no Salmo 91.11; 103.1
Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome.

Segunda leitura: Apocalipse 12.7-12
7 Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; / 8 todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. / 9 E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos. / 10 Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus. / 11 Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida. / 12 Por isso, festejai, ó céus, e vós, os que neles habitais. Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta.

Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.
1.      Opção A: Mateus 18.1-11
Glórias a ti, Senhor
Mateus 18.1-11: 1 Naquela hora, aproximaram-se de Jesus os discípulos, perguntando: Quem é, porventura, o maior no reino dos céus? / 2 E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles. / 3 E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. / 4 Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus. / 5 E quem receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe. / 6 Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar. / 7 Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual vem o escândalo! / 8 Portanto, se a tua mão ou o teu pé te faz tropeçar, corta-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida manco ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno. / 9 Se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida com um só dos teus olhos do que, tendo dois, seres lançado no inferno de fogo. / 10 Vede, não desprezeis a qualquer destes pequeninos; porque eu vos afirmo que os seus anjos nos céus vêem incessantemente a face de meu Pai celeste. / 11 [Porque o Filho do Homem veio salvar o que estava perdido.]
Glórias a ti, ó Cristo.

2.      Opção B: Lucas 10.17-20
Glórias a ti, Senhor
Lucas 10.17-20: 17 Então, regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome! / 18 Mas ele lhes disse: Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago. / 19 Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano. / 20 Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus.

Glórias a ti, ó Cristo.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Somos tão ricos tanto quanto Lázaro!

O homem rico e o Lázaro (De rijke man en de arme Lazarus), 1661, Barent Fabritius (1624-1673)

Não importa se somos ricos ou pobres, ao morrermos cada um de nós estará como um mendigo diante de Deus. A boa nova é que, em Cristo, Deus torna mendigos em ricos. Como São Paulo escreve: "Pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos" (2 Co 8.9). Nenhum de nós é digno de pedir ou herdar alguma coisa diante de Deus - nem o homem rico, nem Lázaro, nem você ou eu. Há somente um que é digno de algo diante de Deus: "Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor" (Ap 5.12). E Jesus, o único que é digno, partilha desta herança com todos os pobres, mendigos pecaminosos que olham para ele com fé.
Na igreja cristã, Jesus faz com que mendigos se tornem ricos. Não é no banco, nem no shopping, mas é na casa de Deus que encontramos a nossa verdadeira prosperidade. Aqui o Salvador crucificado se dirige a nós na palavra e sacramento: Você tem um lugar ao meu lado para sempre. Quando você tiver necessidade, se afligir, temer e derramar lágrimas, olhe para o alto. Volta os seus olhos para cima. Toda a minha riqueza é sua. Adquiri para você um reino sempiterno com o meu sangue. Então venham, queridos mendigos, ao meu altar, e se regalem esplendidamente no meu perdão. Venham vestir-se da púrpura e  do linho finíssimo da minha justiça! Os dias de dor e fome estão quase terminando. O regalo e amizade do meu reino vindouro estão bem perto daqui. Continue orando, mantendo a vigília, meus amados mendigos. Ame seu próximo rico; cuide de seu próximo pobre. Eu vou te ajudar - sempre.
Assim ele nos convida, e assim nos achegamos. Semana após semana, nos achegamos... e somos tão ricos tanto quanto Lázaro!

Rev. Thomas J. Egger, professor assistente de teologia exegética no Concordia Seminary, St. Louis (EUA). Excerto traduzido de "Homiletical Helpes: Proper 21 • Luke 16:19–31 • September 25, 2016", no Concordia Journal (Summer 2016, v. 42, n.º 3, p. 247-248)

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Festa de São Mateus, Apóstolo e Evangelista – 21 de setembro

“São Mateus Evangelista”, Juan Sánchez Salmerón (ativo em 1666-1688)
† Ezequiel 2.8 – 3.11
† Salmo 119.33-40 (antífona vers. 35)
† Efésios 4.7-16
† Mateus 9.9-13

Cor litúrgica: Vermelha

São Mateus, também conhecido como Levi, se identifica como um cobrador de impostos, sendo, portanto, considerado impuro, um pecador manifesto, excluído do povo judeu. No entanto, foi uma pessoa como esta que o Senhor Jesus chamou para deixar sua profissão e riqueza e se tornar um discípulo (Mt 9.9-13). Mateus não apenas se tornou um discípulo de Jesus, como também foi chamado e enviado como um dos doze apóstolos do Senhor (Mt 10.2-4). Com o tempo, se tornou o evangelista cujo registro inspirado do Evangelho obteve o primeiro lugar no ordenamento do Novo Testamento. Dentre os quatro Evangelhos, Mateus retrata Cristo, especialmente como o novo e maior Moisés, que graciosamente cumpre a Lei e os Profetas (Mt 5.17) e estabelece uma nova aliança de salvação em e com seu próprio sangue.

ORAÇÃO DO DIA:
 
Ó Filho de Deus, nosso bendito Salvador Jesus Cristo, tu chamaste Mateus, o cobrador de impostos para ser apóstolo e evangelista. Por meio de seu fiel e inspirado testemunho, concede que também possamos te seguir, deixando para trás todos os desejos de cobiça e amor às riquezas; pois tu vives e reinas com o Pai e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

Fonte: Treasury of Daily Prayer (St. Louis: Concordia Publishing House, 2008. p. 743-44)

sábado, 17 de setembro de 2016

Somente Cristo conquistou para nós a nossa entrada no céu

Parábola do mordomo desonesto, em Auslegung der Episteln vnd Euangelien, von Ostern bis auff das Aduent (Martinho Lutero)
18º Domingo após Pentecostes (Ano A)

"Somente Cristo conquistou para nós a nossa entrada no céu, mas nenhuma pessoa será acolhida a menos que tenha testemunhas de que realmente creu nele. Essas testemunhas estão entre os nossos irmãos a quem temos servido com nossos bens e dons na terra."

-- C. F. W. Walther (1811-1887), doutor e pastor (“God grant it: daily devotions from C.F.W. Walther”, pág. 621)

Comemoração de Hildegarda de Bingen - 17 de setembro


Hildegarda nasceu em Bermersheim, no vale do Reno (atual Renânia-Palatinado, Alemanha), no verão de 1098. Ainda criança foi entregue aos cuidados do convento das monjas de Disibodenberg, conforme costume da época. Em 1136 a direção do mosteiro passou para as mãos de Hildegarda que fundou outros dois: em Bingen (1147) e em Eibingen (1165), também na Alemanha. Apesar de não ser letrada, Hildegarda escreveu textos teológicos, botânicos e medicinais, bem como cartas, canções litúrgicas e poemas. Seu conhecimento de medicina e ciências naturais tornaram seus escritos reconhecidos cientificamente. Escreveu belos textos sobre a boa criação de Deus. No entanto, seu talento foi expresso principalmente no canto e na música, tornando-a uma das primeiras mulheres musicistas da igreja. O final de sua vida foi muito sofrido e amargurado, sendo acometida de doenças e injustiças, vindo a falecer aos 82 anos, no dia 17 de setembro de 1179, em Bingen.

ORAÇÃO DO DIA:

Ó Deus, por cuja graça tua serva Hildegarda, inflamada com o fogo do teu amor, tornou-se uma ardente e brilhante luz na tua Igreja. Concede que também possamos ser aquecidos com o espírito de amor e disciplina, e andar diante de ti como filhos da luz; através de Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo, na unidade do Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Comemoração de Cipriano de Cartago, Pastor e Mártir – 16 de setembro


Cipriano (c. 200-258 d. C.) foi aclamado bispo da cidade de Cartago, no norte da África, por volta do ano 248. Durante a perseguição do imperador romano Décio, Cipriano fugiu de Cartago, mas retornou dois anos depois. Ele foi, então, obrigado a lidar com o problema dos cristãos que renegaram a sua fé diante da perseguição e queriam voltar para a Igreja. Estes cristãos foram chamados de lapsi (decaídos). Foi decidido que esses cristãos decaídos poderiam ser restaurados, ao ser concedida absolvição aos penitentes que demonstraram a sua fidelidade. Durante a perseguição do imperador Valeriano, Cipriano inicialmente se escondeu, mas depois se entregou às autoridades. Ele foi decapitado por causa da fé em Cartago, em setembro de 258.

ORAÇÃO DO DIA:

Deus Todo-poderoso, tu deste a teu servo Cipriano ousadia para confessar o nome de nosso Salvador, Jesus Cristo, diante dos governantes deste mundo e coragem para morrer por causa da fé que ele proclamou. Concede-nos vigor para sempre estarmos prontos a dar a razão da esperança que há em nós e sofrer de bom grado pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém.

Fonte: Treasury of Daily Prayer (Concordia Publishing House, 2008. p. 728)