terça-feira, 25 de abril de 2017

Festa de São Marcos, Evangelista – 25 de abril

"São Marcos, evangelista" (1655-1660), Carlo Maratta (1625–1713)
São Marcos é o autor do segundo Evangelho. Também conhecido como João Marcos, era natural de Jerusalém, onde a casa de sua mãe foi centro da igreja primitiva (Atos 12.12). Paulo e Barnabé levaram Marcos a Antioquia (Atos 12.25) e os acompanhou na primeira viagem missionária. Marcos os deixou durante a viagem (Atos 13.13) e mais tarde foi a causa da separação ocorrida entre Paulo e Barnabé quando este queria levar Marcos na segunda viagem missionária (Atos 15.37-40). Mais tarde, Paulo e Marcos se reconciliaram e Marcos auxiliou Paulo (Colossenses 4.10; Filemon 24; 2 Timóteo 4.11). Marcos também trabalhou mais tarde com Pedro (1 Pedro 5.13). A tradição sugere que Marcos ajudou a fundar a igreja no Egito (Alexandria) e sofreu o martírio ali.

Cor litúrgica: Vermelha

LEITURAS:
 
† Isaías 52.7-10
† Salmo 146 (antífona. v. 5)
† 2 Timóteo 4.4-18
† Marcos 16.14-20

ORAÇÃO DO DIA:
 
Todo-poderoso Deus, tu enriqueceste tua Igreja com a proclamação do Evangelho através do evangelista Marcos. Concede que possamos crer firmemente nestas boas novas e diariamente andar de acordo com a tua Palavra; através de Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Johann Walter: o primeiro Kantor da Igreja Luterana


Johann Walter (1496-1570) ocupa um posição singular na história musical da Reforma. Como primeiro Kantor Luterano, amigo e conselheiro de Martinho Lutero e como compositor de uma grande variedade de música litúrgica para a igreja da Reforma e suas escolas latinas, Walter ocupa um lugar central no início do desenvolvimento da música da Igreja Luterana, um desenvolvimento que culminaria de forma extraordinária na música de Johann Sebastian Bach uns duzentos anos depois.

Embora Walter não seja contado entre compositores de primeira ordem na história, contudo era um mestre da técnica polifônica em seu tempo. Ele foi o primeiro a usar a tradução de Lutero da Bíblia na língua vernácula em sua música. Sua abordagem era completamente litúrgica e ele compôs música eclesiástica na qual o coral era o centro da grande maioria de suas obras… Seu trabalho estava claramente relacionado com a teologia da igreja e seu entendimento - que ele recebeu de Lutero - de que o papel da música na igreja era proclamar a Palavra, do que propriamente interpretá-la.

Na obra de Walter podem ser vistas as primeiras ideias das duas direções em que a música da igreja luterana seguirá nas próximas décadas. Estas duas direções foram o desenvolvimento do estilo moteto polifônico e, simultaneamente, o desenvolvimento do estilo homofônico canônico simplificado. Ao colocar a música da igreja luterana nesses dois caminhos, ambos intimamente ligados ao canto coral, Walter apontou uma direção que continuaria a orientar o trabalho dos compositores luteranos que o seguiriam.

Fonte: SCHALK, Carl F. Johann Walter: First Cantor of the Lutheran Church (St. Louis: Concordia Publishing House, 1992) p. 3,13.

Comemoração de Johann Walter, Kantor e Compositor - 24 de abril


Johann Walter (1496-1570) começou sua carreira como compositor e cantor baixo na capela da corte de Frederico, o Sábio, com 21 anos de idade. Em 1524, publicou uma coleção de hinos arranjados de acordo com o Ano da Igreja. Além de servir por 30 anos como Kantor (músico responsável pelo canto litúrgico na igreja) nas cidades de Torgau e Dresden, também auxiliou Martinho Lutero na preparação da Missa Alemã (Deutsche Messe) de 1526. Walter é lembrado como o primeiro Kantor e compositor luterano de música da igreja.

ORAÇÃO DO DIA:

Ó Senhor Deus, através da vida, morte e ressurreição de teu Filho Jesus Cristo e pelo poder do Espírito Santo, a revelação de teu mistério da salvação é agora revelado e dado a conhecer a todas as nações. Concede que este mistério da salvação, assim como confessado por Johann Walter e todos aqueles que agora descansam de seus labores, continue a guiar a tua Igreja na terra, enquanto aguardamos pelo dia em que virás do céu uma última vez e antecipará a nova criação; através Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Oração de uma pessoa que deseja ir ao confessor buscar a Santa Absolvição


Senhor Jesus Cristo, meu Redentor! Tu deste o Santo Ofício das Chaves à tua amada igreja aqui na terra e aos teus servos fiéis junto com a promessa de que, no poder deste ofício, o que eles desligarem ou ligarem também será desligado ou ligado no céu. Por causa deste tão gracioso meio e instrumento de teu Espírito, proclamo teu eterno louvor, glória e exaltação. Peço-te do fundo do meu coração, pois eu necessito, como pecador pobre e amarrado, desta confortante chave libertadora, e para que eu não seja preso nos grilhões do carcereiro do inferno, vem a mim através do meu confessor cristão, e liberta-me graciosamente e absolve-me de todos os meus pecados, por causa do teu sangue e morte. Dá-me o teu Santo Espírito com a Santa Absolvição, para que que eu possa viver em verdadeiro arrependimento, confiança inabalável, boas intenções, amor fraternal e gratidão, e finalmente alcançar a bem-aventurança eterna no céu. Amém.

– Sigismund Scherertz (1584-1639), superintendente eclesiástico em Lüneburg (Alemanha). Esta oração foi publicada em seu livro “Seelen-Artzney und Spiegel der geistlichen Anfechtungen”.

Fonte: Evangelisch-Lutherischer Gebets-Schatz (St. Louis, 1865. pág. 218)

Comemoração de Johannes Bugenhagen, Pastor - 20 de abril


Hoje nos lembramos e rendemos graças por Johannes Bugenhagen, Pastor. 
 
Bugenhagen (1485-1558), natural da Pomerânia, no norte da Alemanha, foi nomeado pastor de Wittenberg em 1523, servindo como pastor e confessor de Lutero. Bugenhagen foi um dos maiores intelectuais da era da Reforma, tendo auxiliado na tradução do Novo Testamento em baixo-alemão (Plattdeutsch) e escrito um comentário sobre os Salmos. Também trabalhou na organização da Igreja Luterana no norte da Alemanha e Dinamarca, sendo que, numa viagem para Copenhague, coroou o Rei Cristiano III e a Rainha-consorte Doroteia e consagrou sete homens para os ofícios de superintendente e bispo.

ORAÇÃO DO DIA:
 
Ó Deus, nosso Pai celestial, que levantaste o teu servo fiel Johannes Bugenhagen, para ser pastor na tua Igreja e apascentar o teu rebanho. Concede com abundância os dons do teu Espírito Santo a todos os pastores, para que possam ministrar em tua casa como verdadeiros servos de Cristo e mordomos de teus mistérios divinos; através de Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Todos os dias é Páscoa

 
O mercado e todos que o idolatram já esqueceram a sua "páscoa". Mas a Páscoa de Jesus ainda continua sendo festejada na cristandade. A igreja cristã está vivendo o período da Oitava Pascal, isto é, oito dias que vão desde o Domingo de Páscoa até o Segundo Domingo de Páscoa. Pascoela (pequena Páscoa) é um nome que se dá a este 2º Domingo de Páscoa para ressaltar a importância do 1º Domingo na Oitava de Páscoa. Nestes dias, nossos corações permanecem voltados para os eventos daquele glorioso Domingo, quando Cristo ressurgiu dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem.

Lembremos ainda que até a Festa de Pentecostes temos 50 dias que a Igreja chama de Período de Páscoa. Tudo na igreja e na liturgia ainda lembra a Ressurreição do Salvador: os paramentos brancos, a proclamação do Evangelho, os cânticos de Aleluia, etc.

E não para por aí. Para os antigos cristãos, todo Domingo era uma celebração da Ressurreição de Cristo, antes mesmo da Páscoa ser celebrada anualmente a partir do século I. Mas, em nossas vidas diárias, todos os dias é Páscoa, pois a vitória de Cristo sobre a morte não foi só dele. É um benefício que se estende a todos aqueles que, crendo, têm vida por meio dele (Jo 20.31).

ORAÇÃO DO DIA:

Todo-poderoso Deus, que pela ressurreição de teu Filho garantiste paz para as consciências atribuladas, concede-nos sempre esta paz para que, confiando nos méritos de teu Filho, possamos alcançar afinal a paz perfeita dos céus; através do mesmo Jesus Cristo, teu Filho, nosso Senhor, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

domingo, 16 de abril de 2017

Páscoa que nunca termina


"Assim como em sua ressurreição, Cristo levou tudo consigo, de sorte que tanto céu como terra, sol e lua e todas as criaturas têm de ressurgir e ser renovados, ele também nos trará a nós em sua companhia. O mesmo Deus que ressuscitou a Cristo dos mortos também vivificará nossos corpos mortais, bem como o de todas as criaturas. Estas, agora, estão sujeitas à vaidade e com ardente expectativa aguardam a nossa glorificação, para, também, serem redimidas desta existência passageira e alcançarem a glória. No nosso caso, mais da metade da ressurreição já é fato consumado, pois a cabeça e o coração já estão lá no alto, restando apenas a menor parte, ou seja, que o corpo seja enterrado, para que também este seja renovado.
Ninguém nega que o corpo de uma pessoa morta não tem lá muito valor. Agora, a fé me dá uma compreensão mais nítida do que aquela que me vem através dos olhos e dos sentidos. Pois aí temos o texto que diz: Ele ressuscitou. Ele não ficou no túmulo nem tampouco sepultado na terra, mas ressuscitou dos mortos. E isto não em benefício próprio, mas por nossa causa, para que sua ressurreição seja nossa e para que nele também nós ressuscitemos e não fiquemos no túmulo e na morte, mas celebremos com ele, em nossos corpos, uma Páscoa que nunca termina."

- Bem-aventurado Martinho Lutero (1483-1546), doutor e reformador da igreja